10 lições extraídas de “Libere-se da dor nas costas”, do Dr. John Sarno – Parte 1

10 lições extraídas de “Libere-se da dor nas costas”, do Dr. John Sarno – Parte 1

“A dor física não tem necessariamente (apenas) causas físicas.”. “Emoções reprimidas podem causar dor física”. “Crescer e expandir continuamente nossa consciência é um componente fundamental de qualquer jornada de cura”. Lições como essas livraram muitas pessoas de uma condição de dor crônica não específica, que achavam irremediável. E não são as únicas. Veja mais sete aqui.

Autora: Brenda Wille

Fundações de uma nova vida

Enquanto eu lia Healing Back Pain, do Dr. John Sarno, percebi pela primeira vez que seria realmente possível viver uma vida diferente da que eu tinha vivido. Parece tão bizarro quando olho para trás agora, mas sinceramente nunca pensei que viver sem dor fosse viável. Eu tinha vivido com dores e sofrimentos de descrições variadas por tanto tempo e ouvi tantas vezes que não havia nada que pudesse ser feito, que não houvesse causa óbvia para a minha dor e que eu teria que aprender a viver com isso, que era o que eu estava fazendo. Vivendo com isso. Acreditando nisso. Aceitando isso.

Nem me ocorreu que a dor e o desconforto não precisavam ser minha norma. Eu estava errada.

Introdução da Síndrome da Miosite Tensional (SMT) / Síndrome da Mente-Corpo (SMC)

Em seu trabalho no Instituto Rusk de Medicina de Reabilitação, em Nova York, o Dr. Sarno viu muitos casos em que seus pacientes não responderam como ele esperava para os tratamentos convencionais do dia, considerando os sintomas físicos que eles apresentaram. Ele notou que, além de suas queixas (principalmente de costas, pescoço e ombros), seus pacientes geralmente compartilhavam um padrão comum de tensão subjacente.

Em Healing Back Pain (e seus outros livros), o Dr. Sarno introduz o conceito de Tension Myositis Syndrome (TMS) ou Síndrome da Miosite Tensional (SMT). Hoje a SMT é freqüentemente referida como Síndrome da Mente-Corpo, e em minha mente os termos podem ser usados ​​de forma intercambiável. Na época, Sarno a definiu como “uma mudança de estado muscular dolorosa”.

O Dr. Sarno trabalhou inicialmente com dor nas costas, pescoço e ombros, mas há muitos outros exemplos de como a SMT se manifesta como sintomas e condições dolorosas. Estes incluem dores de cabeça, enxaquecas, dor pélvica, intestino irritável e outras queixas gastrointestinais, fadiga crônica, fibromialgia, túnel do carpo e síndromes de esforço repetitivo, vertigem, tontura, insônia e até mesmo equivalentes psicológicos, como ansiedade, depressão, fobias e distúrbios.

Embora muitas novas pesquisas tenham sido feitas sobre a conexão mente-corpo e como o cérebro funciona desde a publicação de Healing Back Pain, muitas vezes me vejo voltando à base sólida que o Dr. Sarno estabeleceu para aprender sobre a SMT. Há muito conteúdo valioso em todos os seus livros.

Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

Isso é o que eu aprendi com o Healing Back Pain

1. É mais do que ‘apenas’ físico

Muito possivelmente, minha descoberta mais dramática foi a noção de que a dor física não tem necessariamente (apenas) causas físicas. Parece um pensamento qualquer agora, mas quando eu li pela primeira vez que a dor emocional poderia se manifestar como uma variedade de sintomas físicos, eu senti como se tivesse ganhado na loteria. Pensei em luzes piscando, chifres tocando, sinos tocando – a coisa toda. Foi um alívio enorme perceber que a dor que eu estava sentindo por tanto tempo poderia ser curada – e que nenhuma intervenção médica invasiva era necessária.

Ajudou que o meu insight fosse corroborado pelo fato de que comecei a me sentir dramaticamente melhor. Quase que da noite para o dia.

2. Emoções esmagadas, recheadas, enterradas, ignoradas e reprimidas

Para pessoas que têm SMT, a tendência é reprimir emoções desagradáveis, dolorosas ou embaraçosas. Quando reprimimos essas emoções, nossos corpos respondem às ameaças reais e percebidas que compõem nossas vidas, apesar de não estarmos cientes de toda essa ação que está acontecendo “abaixo da pele”, por assim dizer.

Emoções reprimidas, ignoradas e/ou não resolvidas podem causar dor física. É realmente muito simples. E poderoso.

3. O papel da privação de oxigênio

Enquanto estamos “engarrafando” nossas emoções, nosso inteligentíssimo sistema nervoso autônomo ativa nossa reação de luta, fuga ou congelamento. Como parte disso, o oxigênio em nosso suprimento de sangue é canalizado para todos os grandes órgãos necessários para montar uma defesa contra a ameaça. Isso efetivamente significa que se esvai nos músculos, nervos, tendões e ligamentos. A privação de oxigênio significa que experimentamos tensão, disfunção e dor física.

4. A mente inconsciente: um fator complicador

Infelizmente, as coisas ficam complicadas pelo fato de que a maioria de nós, na maioria das vezes, nem sequer sabe que estamos reprimindo nossas emoções. Para alguns de nós, controlar, esconder e/ou ignorar nossas emoções tornou-se parte integrante de como vivemos e nem percebemos que temos emoções.

Como o Dr. Sarno explica:

“É um fato interessante que a esmagadora maioria das atividades emocionais e mentais ocorre abaixo do nível de consciência. A mente humana é algo como um iceberg. A parte da qual estamos conscientes, a mente consciente, representa uma parte muito pequena do total. É na mente subconsciente que todo o processamento mais complicado continua… Essa condição começa e termina no inconsciente ”.

Enquanto eu lia Healing Back Pain, reconheci que ainda não sabia o que estava acontecendo abaixo da minha mente consciente, mas saber que ALGUMA COISA estava causando uma reação no meu corpo era uma revelação encorajadora para mim. Isso me deu muita confiança necessária para começar a aceitar essa nova maneira de pensar sobre a minha dor.

5. O poder da distração

Trabalhando com um colega psicanalista, o Dr. Sarno descobriu que a mente propositadamente trabalha para distrair a gente do que está acontecendo no mundo emocional. Distrações físicas (isto é, dor) funcionam muito bem como mecanismos de defesa contra as emoções que borbulham para a superfície (da consciência) “…particularmente se elas forem dolorosas, assustadoras e incapacitantes”.

É quase como se a mente decidisse que uma dor física é preferível a uma emocional. Entender isso me ajudou a ver com mais clareza o papel que a dor física estava exercendo em minha vida e como isso me ajudava a evitar algumas coisas emocionais desagradáveis. Há muito mais coisas acontecendo a alguém com SMT do que apenas a dor física do momento.

Até aqui cinco do que a Brenda aprendeu lendo Healing Back Pain. Nada diferente do que eu mesmo aprendi fazem dois anos e que ainda eu pratico para manter a dor crônica longe das noites mal dormidas de antes. Se você quiser continuar lendo sobre outras cinco lições extraídas dessa leitura veja a segunda parte desse artigo.

ATENÇÃO! Healing Back Pain, foi traduzido livremente por mim e você pode lê-lo, sem custo, clicando aqui. E não se preocupe, não vou lhe vender nada, nem quero que se inscreva num curso, nem que seja o meu amigo, nem que goste de mim. Apenas leia algo que, se você sofrer de dor crônica inexplicável, poderá aliviá-lo.

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *