A dor é estranha - Parte 1

A dor é estranha - Parte 1

E se você quer recuperar os movimentos de um braço, bem, poste-se diante de um espelho e mexa o braço bom, que repetindo, repetindo, um dia o cérebro irá repassá-los ao ruim. Ah, e fique também sabendo que pensamentos e emoções tóxicas podem doer tanto quanto uma gripe mal cuidada!

Introdução

A ciência da dor revela uma sensação volátil, enganosa, que é muitas vezes mais do que apenas um sintoma, e às vezes pior do que o que a começou/iniciou.

Dor Crônica - O blog das Dores Crônicas

por Paul Ingraham, Vancouver, Canadá bio
Atualizado Jan 15, 2018 (publicado pela primeira vez 2010)

A dor não é apenas uma mensagem de tecidos feridos para ser aceita de cara, mas uma experiência complexa que é rigorosamente sintonizada pelo seu cérebro. Os resultados são muitas vezes estranhos e contraproducentes, como na física quântica, mas a ciência é clara: cada sensação dolorosa é 100% BrainMade® e não há dor sem cérebro.

Significa isso que podemos deixar de pensar em dor? Quanta energia a mente tem sobre a dor? A confiança e a educação ajudam na cura?

Os artigos sobre este tópico são agora comuns, mas a maioria deles enganam os leitores com a ideia tentadora que a dor pode ser tratada com a mente… embora falhando em explicar como. Neste artigo, eu fico especifico no que há de realista e prático nisso de a “mente (prevalecer) sobre a dor.” Há más notícias, mas há também boas – se você entender como a dor realmente funciona.1 Muitas descobertas sobre a fisiologia da dor2 3 têm sido dolorosamente lentas para chegar ao público, ou mesmo a profissionais de saúde. Trata-se de material útil que precisa ser compartilhado.

Principalmente, precisamos parar de pensar em dor em termos de causas ou curas únicas: “é tudo por culpa de XXXX, eu sei!” Quase nunca é.4 A dor não é um sinal confiável do que realmente está acontecendo. A dor crônica é uma poção de bruxa composta por diferentes fatores, complexa por natureza (não apenas por coincidência ou má sorte). No mínimo, a dor sempre tem uma camada de complexidade gerada pelo cérebro. Na pior das hipóteses, o sistema de dor pode falhar ao ponto de causar dor muito mais intensa do que o que apenas um sintoma– às vezes, a dor é o problema.

“A biologia da dor nunca é realmente simples, mesmo quando parece ser.”

“Uma das qualidades principais da dor é que exige uma explicação.”

~ Plainwater, por Anne Carson

“Percepção é o melhor palpite do cérebro sobre o que está acontecendo no mundo exterior. Percepção é inferência.”

Assista! 2 bons vídeos sobre este tema

Este vídeo de curta duração resume claramente os pontos-chave do conteúdo deste artigo. Eu tenho reservas quanto ao conselho dado – algumas picuinhas das que vou falar abaixo.

Outro vídeo do tipo “Resumo”, de algo diferente: uma conversa hilária sobre uma mordida de cobra e a neurologia da dor. Genuinamente engraçado e divertido. Não, realmente, você vai rir de verdade. É como uma comédia stand-up. O Australiano Lorimer Moseley, Professor de Neurociências Clínicas, incansável pesquisador da dor é um dos melhores palestrantes que eu já vi – o vídeo deveria ser assistido por qualquer pessoa com dor crônica, e pelos profissionais que cuidam dela.

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *