A dor é estranha - Parte 8

A dor é estranha - Parte 8

Qual é a diferença entre “dor é uma opinião” e “está tudo na sua cabeça”?

Eu já salientei algumas vezes que nada do escrito significa que a dor está “toda ela na sua cabeça”, mas devemos tornaristo muito mais claro. Infelizmente, é complicado dizer aos pacientes “às vezes a dor se correlaciona mal com os danos do tecido” sem eles ouvirem “está tudo na sua cabeça.” É um riscoassado direito na ciência da dor moderna, e eu acho que é um problema sério. Eu experimentei-o como paciente, e também tenho visto muitas outras evidências do mesmo.

Por exemplo, aqui está o início de uma incrível, edificante história sobre dor nas costas, contada pelo Dr. Jerome Groopman em seu livro, The Anatomy of Hope, sobre sua própria experiência com dor lombar crônica super severa:

O Dr. Rainville plantou a ressonância magnética da minha coluna numa caixa acesa na parede e inspecionou sistematicamente o filme, vértebra por vértebra. Aparentemente satisfeito de ter revisado todos os dados relevantes, ele se virou encarando-me.

“Você está adorando o Deus Vulcano da dor”, declarou ele. “o Deus Vulcano da dor é o seu mestre.”

Eu tinha sido avisado de que Rainville era um impetuoso, irreverente, que tinha opiniões contrárias. Mas de que diabos ele estava falando?

A explicação sobre a “Adoração do Deus Vulcano” que Groopman recebe de Rainville é realmente fantástica: uma versão intensa e dramática da idéia central deste artigo, a de que a dor pode ficar totalmente desconectada da realidade. Apesar da astúcia da explicação, Groopman lutou com as implicações disso como qualquer paciente:

A história de Groopman vale o preço do livro. Especialmente porque tem um final feliz.

E o que ele estava realmente dizendo, em termos biológicos frios, e não metáforas extravagantes de deuses vulcânicos? Que mudar minhas crenças poderia amortecer os circuitos flamejantes da dor? Eu era por acaso algum místico ou Yogi capaz de andar descalço sobre pedras quentes ou dedeitar em uma cama de pregos?

Então, aqui está a diferença:

  • Dor que está “tudo na sua cabeça” é a dor impulsionada principalmente pela hipocondria, uma forma de transtorno de ansiedade, uma doença mental.
  • A dor crônica sem dano evidente do tecido é uma avaria sistêmica em que o sistema nervoso produz uma experiência de dor que não é proporcional ao problema do tecido real, às vezes dramaticamente (como no caso de Groopman). Mas, crucialmente, o problema começa com problemas do tecido e de fato alguns problemas de tecido permanecem.

Veja outros posts relacionados...

1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *