A dor está na sua cabeça?

A dor está na sua cabeça?

Qual é o perpetrador de dor Número 1? Uma hérnia de disco? Uma enxaqueca? Errado. É o jeito que você é.

“A dor está na sua cabeça? Sim e não, diz o Dr. John Sarno, professor clínico da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York e médico assistente do Instituto de Medicina de Reabilitação Howard A. Rusk, em Nova York. Ele é um verdadeiro pioneiro, curando a dor das pessoas com sua controversa teoria mente-corpo (mind-body).”

Após 30 anos de experiência clínica, o Dr. Sarno insiste que a dor nas costas e outras dores corporais, no pescoço, ombro, membro e pé, quase sempre derivam de emoções reprimidas, raiva inconsciente (e outras emoções negativas).

Funciona assim. Inconscientemente, a raiva interiorizada gera tensão física no corpo. Essa tensão, a que Sarno se refere como Síndrome da Miosite Tensional – SMT (Tension Miositis Syndrome TMS), desencadeia constrições vasculares dentro do corpo. Como estas diminuem o fluxo sanguíneo e o oxigênio que vai para os tecidos, dor intensa e espasmos são desencadeados. Essa dor, embora carecendo de causa estrutural, é real e pode ser excruciante. Sarno diz ter visto pacientes com SMT sofrerem mais do que pacientes de cirurgia de costas.

Em sua maior parte, as emoções reprimidas que refletem dor física afligem aqueles que são determinados, perfeccionistas ou querem ser apreciados (pessoas voltadas para agradar outras).

Por outro lado, se a dor for atribuída a discos herniados, condições artríticas degenerativas da coluna vertebral, estenose espinhal, etc. com base numa ressonância magnética, convém ficar atento: o Dr Sarno afirma que essa tecnologia inovadora pode dar resultados desconcertantes e nada confiáveis.

Ocorre que nós tendemos a pensar em nossa mente e corpo como entidades separadas. Nós vamos a um podólogo para aliviar dor nos pés, e a um médico endocrinologista para resolver problemas de tireoide. Nós vemos um psiquiatra, psicólogo ou líder espiritual por conta de depressão ou tristeza. No entanto, a mente-corpo é uma coisa só. Como amor e casamento, você não pode ter um sem o outro. Muito do tratamento SMT é baseado em prestar atenção ao que está acontecendo na mente quando a dor aparece no corpo. Você simplesmente não pode separar os dois. Acredite ou não, sua mente está tentando ser sua amiga. Ela usa um método inteligente e sutil, que convoca a dor corporal na tentativa de proteger você de pensamentos e emoções reprimidas, repreensíveis e imperdoáveis. Na verdade, o cérebro é tão inteligente que sempre escolhe uma área do seu corpo que ele acha fraca, vulnerável. Por exemplo, se você foi diagnosticado com discos herniados, enxaqueca ou similares, é aí que a dor atingirá.

O perpetrador de dor número um é sua personalidade. As expectativas e a pressão autoimpostas, a tentativa de ser perfeito, ou de querer ser visto como uma boa pessoa, ou um estilo de vida estressante podem desencadear tensão no corpo. Internamente você pode sentir raiva por não ser perfeito ou visto como bom. Mas você é um adulto e não pode se mostrar furioso tal qual uma criança narcisista. A sua raiva, então, é interiorizada, indo parar num reservatório de raiva no inconsciente.

Se você quer ser visto como uma boa pessoa, mas tem muita raiva de alguém, o seu cérebro irá reagir como um robô-soldado, pronto para protegê-lo de pensamentos tóxicos, deploráveis. Ou pior, da possibilidade de atacar com raiva terrível, obliterando sua autoimagem de boa pessoa.

Sua mentalidade ilógica diz que se você quer ser uma boa pessoa, você deve sempre ser visto como uma boa pessoa. Qualquer coisa menos seria devastadora. Para sua própria segurança, diz o cérebro, essas emoções negativas devem ser trancadas e guardadas para sempre. E para isso o cérebro faz por desviar seus pensamentos da dor emocional para a dor física. Da mesma forma, se você é um perfeccionista e cometeu um erro, é previsível que vergonha e humilhação venham à tona. Na minha opinião, a vergonha é um dos piores traumas psicológicos. Ela não diz que você cometeu um erro, mas sim, que você é um erro. Ela assalta o seu caráter e autoestima lá no fundo. Então, para defender sua imagem e escapar da vergonha, o cérebro cria dor de distração.

Para os perfeccionistas e as pessoas que vivem para agradar outras, as emoções devem ser reprimidas e fortemente policiadas em um esforço por manter como elas acham que o mundo deve vê-las. Se você é um sujeito que adora ser bom com os outros, aparecer como um sujeito cruel, odioso ou vingativo é significativamente pior do que sofrer a dor física. Sentir que você é um erro, e não o fato de ter cometido um erro, é insuportável. Seu cérebro trabalha muito para manter seu senso de si mesmo. Ele está à procura de cada segundo para proteger sua autoimagem e desviar sua atenção para a dor física.

E o ciclo de emoções reprimidas, tensão, privação de oxigênio e dor se repete ad infinitum. A única forma de superá-lo é permitir-se ser humano. Todo mundo tem uma criança narcisista dentro de si. Todos experimentam raiva e rancor. É parte da condição humana. Todo mundo comete erros. Ninguém espera que outros se mantenham livres de erros durante toda a vida. Uma vez que você se dê a liberdade de aceitar suas imperfeições e de se reunir à raça humana, menor tensão você sentirá em seu corpo, ajudando a parar o ciclo de SMT.

O Dr. John Sarno faleceu em 2017.
Somebody Ought To Write About That, Powerology Blog

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *