Antibióticos comumente usados podem levar a problemas cardíacos

Antibióticos comumente usados podem levar a problemas cardíacos
image_pdfimage_print

Cientistas mostram pela primeira vez uma ligação entre dois tipos de problemas cardíacos e uma das classes de antibióticos mais comumente prescritas.

Antibióticos hoje são prescritos até de forma preventiva. O que é uma idiotice.

No dia 10 de Setembro de 2019, o ScienceDaily, um site americano que posta as últimas notícias sobre achados científicos na medicina e fora dela, publicou um post – reproduzido mais adiante – sob o título acima.

Uma semana depois (17/09) foi a vez de nada menos que o The New York Times repercutir o assunto.

Nada para se alarmar, mas numa época em que a prescrição de antibióticos de todo tipo virou rotina, e é até exigida pelos pacientes, convém se manter informado.

ANTIBIÓTICOS COMUMENTE USADOS PODEM LEVAR A PROBLEMAS CARDÍACOS

Fonte: University of British Columbia, Canadá.

Cientistas mostram pela primeira vez uma ligação entre dois tipos de problemas cardíacos e uma das classes de antibióticos mais comumente prescritas.

Em um estudo publicado hoje no Journal of American College of Cardiology, pesquisadores da University of British Columbia (UBC), descobriram que os usuários atuais de antibióticos fluoroquinolona, ​​como a ciprofloxacina ou Cipro®, patenteado pela Bayer, correm um risco 2,4 vezes maior de desenvolver regurgitação aórtica e mitral, onde o sangue flui para o coração, em comparação com pacientes que tomam amoxicilina, um tipo diferente de antibiótico. O maior risco é dentro de 30 dias após o uso.

Estudos recentes também associaram a mesma classe de antibióticos a outros problemas cardíacos.

Alguns médicos preferem as fluoroquinolona a outros antibióticos por seu amplo espectro de atividade antibacteriana e alta absorção oral, que é tão eficaz quanto o tratamento intravenoso ou IV.

“Essa classe de antibióticos é muito conveniente, mas para a maioria dos casos, principalmente infecções relacionadas à comunidade, eles não são realmente necessários. A prescrição inadequada pode causar resistência a antibióticos e problemas cardíacos sérios”, disse Mahyar Etminan, principal autor da pesquisa e professor associado de oftalmologia e ciências visuais da Faculdade de Medicina da UBC.

Os pesquisadores esperam que o estudo ajude a informar o público e os médicos de que, se os pacientes apresentarem problemas cardíacos, onde nenhuma outra causa foi descoberta, os antibióticos da fluoroquinolona podem ser uma causa potencial desses problemas.

Para o estudo, os cientistas analisaram dados do sistema de relatórios adversos da Food and Drug Administration dos EUA. (Nota do blog: Evento adverso significa qualquer ocorrência médica indesejável associada ao uso de um medicamento.) Eles também analisaram um enorme banco de dados de sinistros de seguros privados nos EUA que captura dados demográficos, identificação de medicamentos, dose prescrita e duração do tratamento. Foram identificados 12.505 casos de regurgitação valvar em uma amostra aleatória de mais de nove milhões de pacientes. O uso de fluoroquinolona foi comparado com o de amoxicilina e azitromicina.

Os resultados mostraram que o risco de regurgitação aórtica e mitral, refluxo sanguíneo no coração, é maior 30 dias antes do evento adverso, seguido pelo uso 31 a 60 dias antes.

Etminan espera que, se outros estudos confirmarem esses achados, as agências reguladoras irão adicionar o risco de regurgitação aórtica e mitral a seus alertas como possíveis efeitos colaterais e os médicos usarão outras classes de antibióticos como primeira linha de defesa para infecções não complicadas.

Nota do blog:

Outubro, 2018. A Bayer do Brasil emite o seguinte comunicado:

“Descontinuação definitiva de importação – Cipro® (ciprofloxacino) solução injetável. Informamos que em função de revisão estratégica do portfólio da empresa foi solicitado descontinuação definitiva da forma farmacêutica solução injetável para o medicamento Cipro® (ciprofloxacino).”

A importação do Cipro pela Bayer do Brasil foi descontinuada em 2018 aduzindo uma “revisão estratégica do portfólio da empresa foi solicitado descontinuação definitiva da forma farmacêutica solução injetável para o medicamento Cipro® (ciprofloxacino)”

Em Fevereiro de 2020 pode-se comprar Cipro 500mg, 14 Cápsulas, indicado para infecções do trato respiratório, em qualquer rede de farmácias do país. Autorizado pela ANVISA e desde que prescrito por médico(a).

Veja outros posts relacionados...

nenhum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *