Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

Breaking news, good news!

Após dois anos no ar o volume de informações hospedadas no blog – a razão de meia dúzia de postagens por semana – cresceu ao ponto de se tornar um problema. Posts, artigos e e-books de boa qualidade publicados há dois ou quatro meses perdem valor em relação aos publicados nessa semana. Sem motivo, porque a maioria dos temas – fibromialgia, dor lombar, dor crônica na mulher, neurociência da dor, psicologia da dor, etc – não mudam tão velozmente. A  solução encontrada, descrita nesse post, irá facilitar a navegação do visitante pelo blog, e a busca do que lhe interessa.

“Um pequeno progresso ainda é progresso”.

Anônimo

Essa semana o blog cumpriu 2 anos. Nesse período foram publicados 153 artigos, 276 posts, 13 ebooks; e produzidos 147 vídeos curtos.

Por um lado, muito bom porque as visitas no primeiro mês não passaram de uma centena e atualmente são mais de 50 mil – ao mês. (Sim, o número de seguidores todo blogueiro engorda inpunemente, eu sei. Mas eu alegremente abro as estatísticas de agosto a seu pedido. Be my guest.)

Esse considerável volume de publicações, no entanto, carece de valor se estas não forem facilmente acessíveis ao visitante. O que em tal caso seria um tremendo desperdício porque escolher cada artigo a ser publicado dá trabalho, acredite. Pesquisa, tempo, e amiúde, tradução decente. E depois tem os posts, todos de autoria deste seu humilde servidor. Qualquer um deles requer prudência, clareza e fundamentação – em menos de 4 horas dificilmente o produto fica como você quer.

Há tempos então, que eu vinha notando o óbvio, ou seja, que os visitantes do blog preferenciavam as publicações mais recentes. (Um viés, aliás, muito humano. Isso de a mente privilegiar a última informação recebida, mesmo que as anteriores sejam mais interessantes). Então, que tal voltar no tempo e repetir artigos e posts já publicados? Quase nunca tem graça. Para mim, ao menos. É como assistir a reprise de uma novela da Globo em que a Cristiane Torloni não trabalhou.

Enfim, aquilo tudo me deixava meio melancólico. Longe de mim querer impor um regime de leitura ao visitante, mas é um desserviço não lhe facilitar um acesso mais fluído a temas do seu interesse.

E como o sufoco tendia a piorar porque a cada semana o blog comparece com quatro publicações, fui ter com o Mandrake que o arquitetou. E juntos idealizamos uma maneira melhor de o visitante navegar por esse mar de publicações.

Ficou assim: clicando em MAPAS DO BLOG aparecem estas duas imagens.

À esquerda, o antigo Mapa do Blog, o nome (errado) que dei originalmente para a listagem cronológica de todas as publicações: posts, artigos e livros. Cada uma resumida e identificada por um link para facilitar o imediato acesso. Essa seção agora chama MAPA DAS PUBLICAÇÕES.

A matriz colorida à direita é a novidade. Ela abriga 22 temas, cada um agrupando ARTIGOS afins. Por exemplo, se você quer saber o que foi publicado sobre o TEMA A, clica nele e pimba, vai se deparar com artigos a, b, c etc.

  • Neurociência
  • Covid 19
  • Abordagem Biopsicossocial
  • Dor na Mulher
  • Idosos
  • Terapias Convencionais
  • Terapias Comportamentais
  • Sensibilização Central
  • Fibromialgia
  • Classificação, Avaliação
  • Educação em Dor
  • Dor nas Costas
  • Psicologia da Dor
  • Na Prática
  • Fundamentos
  • Outros

Enfim, espero que alguém aproveite. Este blog hospeda um acervo de informações sobre dor crônica que deveria ser mais aproveitado. Muito mais. Principalmente pelos profissionais da saúde e para benefício de seus pacientes com dor. Ele foi criado para isso, mas eu confesso que até hoje essa expectativa não vingou. Ora, a maioria absoluta dos 52.000 que o visitam mensalmente são… os pacientes! Pessoas das mais diversas, todas em busca de informações sobre a causa de seu sofrimento. Informações que o blog hospeda e que médicos, fisioterapeutas, psicólogos etc. poderiam usar para ensinar seus pacientes com dor crônica a cuidar melhor de si mesmos. Por sinal, o único caminho para se aliviar quando se está nessa condição.