Covid-19 pelo mundo afora: 04-04-21

Covid-19 pelo mundo afora: 04-04-21
image_pdfimage_print

Veja as últimas notícias sobre a Covid-19 no Brasil e pelo mundo afora na semana. Lá fora, o destaque foi o fechamento de fronteiras generalizado. Por aqui, mais do mesmo (vacinas de menos e mortes demais) e um brado retumbante: o dos cientistas advogando em coro por um lockdown nacional de verdade de ao menos três semanas, sob pena de a vaca ir para o brejo de vez. Ora, “o brasileiro não é disso”, decreta o novo Ministro da Saúde e portanto, nem pensar. Um belo impasse capaz de elevar a conta dos mortos pela Covid-19 ao meio milhão daqui a dois meses.

Os heróis da resistência

O governador da Florida emitiu uma lei executiva, para vigorar de imediato, proibindo os donos de lojas de exigir alguma “prova de vacina” dos seus paroquianos como requisito para ser atendido.

Na Inglaterra, mais de 70 parlamentares, incluindo 40 conservadores, o ex-líder trabalhista Jeremy Corbyn e membros do Partido Liberal Democrata, formaram uma aliança parlamentar para se opor aos documentos de identidade da Covid-19. Ele veio quando Boris Johnson sugeriu que o governo seguiria em frente com o esquema e foi anunciado que pilotos de testes em massa em grandes eventos aconteceriam este mês.

Como andamos em casa?

O governo do México reconheceu no sábado que o número real de mortes causadas pela pandemia de coronavírus agora está acima de 321.000, quase 60% a mais do que o número oficial confirmado por teste de 201.429. O número rivalizaria com o do Brasil, mas a população do México de 126 milhões é muito menor. Por que um furo desse tamanho? O México, como Brasil, testa pouco. E, como os hospitais estavam lotados, muitos mexicanos morreram em casa sem fazer o teste, e portanto, sem notificar a Covid-19 como causa da morte.

Vacina Covid-19 em crianças

Na última quarta-feira, 31/03, a Pfizer anunciou que, de acordo com um estudo recente, sua vacina foi 100% eficaz na prevenção da doença em crianças entre 12 e 15 anos de idade, e a empresa espera obter autorização para uso de emergência “assim que possível”.

A Tale of Two Cities – no mesmo dia (01/04/21)

Massachussetts, EUA

Ainda estamos nesta montanha-russa pandêmica e estamos subindo novamente. (Eu não sei sobre você, mas estou pronto para sair deste passeio.) Embora não possamos decidir quando isso acabará, podemos mudar a aparência do resto da trilha para garantir que os picos que são deixados para escalar nunca alcançam aqueles picos indutores de pânico de nossas ondas anteriores. Segure-se e aperte o cinto; aqui está o que você precisa saber esta manhã: o número de cidades consideradas de alto risco volta a subir, passando para 55 na lista. São 23 comunidades a mais que na semana passada e estão crescendo pela terceira semana consecutiva. Existem pouco menos de 33.000 casos de Covid-19 ativos em todo o estado, o maior número relatado em um mês.

São Paulo, Brasil

Os números ainda são altos demais, a taxa de isolamento está muito menor que a desejada, aglomerações frequentes seguem sendo registradas e, por fim, o período de duas semanas ainda dá margem para erro, devido ao tempo estimado entre os contágios e o início dos sintomas. Se a tendência de redução não se confirmar nos próximos dias, novas restrições deverão ser adotadas. Em todo caso, deve levar semanas para que o efeito seja sentido no registro de mortes.

Um declínio nos testes pode estar mascarando a disseminação do vírus nos EUA

Algumas regiões estão relatando poucos casos novos em relação à sua população, em comparação com estados mais afetados como Michigan ou Nova York. Isso é porque estão testando muito menos pessoas. O Kansas, por exemplo, agora está testando cerca de 60 pessoas por dia para cada 100.000 habitantes, de acordo com dados compilados pela Johns Hopkins University, e o Alabama apenas um pouco mais. A imagem é semelhante em Iowa, Mississippi e em outros lugares. Em contraste, Nova York tem uma média de 1.200 testes por dia por 100.000 e Rhode Island 1.677 por 100.000.

A propósito, alguém sabe qual é a média em São Paulo? Paraná? Pernambuco? Brasil?

A vacina da Pfizer-BioNTech: a caminho de se tornar o “padrão-ouro” das vacinas

Um grande estudo em Israel descobriu que a vacina reduziu os casos sintomáticos em 94% por semana após a segunda dose e reduziu as doenças graves em 92%.

Uma análise atualizada dos dados dos ensaios clínicos mostra que a vacina continua a oferecer uma forte proteção sem sérias preocupações de segurança, disseram as empresas na quinta-feira.

Os novos dados também sugerem que a vacina funciona contra a preocupante variante do vírus na África do Sul, embora mais estudos sejam necessários, disseram os especialistas.

Na quarta-feira, a vacina se mostrou quase 100% eficaz em adolescentes de 12 a 15 anos e não causou efeitos colaterais graves de Covid-19. (Os dados não foram revisados por pares nem publicados em um jornal.)

Finalmente… aberto o primeiro mercado de vacinas Covid-19.

O Paquistão disse na quinta-feira que permitirá que as doses da vacina Covid-19 sejam vendidas comercialmente aos pacientes, começando com a vacina desenvolvida na China pela CanSino Biologics. A vacina russa Sputnik V também será vendida, disseram as autoridades.

Perna curta

A Justiça Federal autorizou nesta quinta-feira a refinaria Refit (antiga Manguinhos), do empresário Ricardo Magro, e empresas de seu grupo a importarem 6,6 mil doses de vacinas contra Covid-19 para a imunização de funcionários e seus familiares. Na decisão, o juiz Ronaldo Valcir Spanholo, da 21ª Vara Federal do Distrito Federal, autorizou a compra dos imunizantes e livrou a empresa da obrigatoriedade de doar parte do estoque ao SUS (Sistema Único de Saúde).

Vai ou não vai? Voa ou não voa?

Apesar da nova orientação do CDC de que americanos totalmente vacinados podem viajar com segurança, a agência ainda está recomendando contra isso à medida que os casos de Covid-19 aumentam.

A vacina da Oxford-AstraZeneca no lado ruim da notícia. De novo.

Mais casos raros de coágulo sanguíneo encontrados em receptores Oxford-AstraZeneca. Reguladores britânicos identificaram 30 eventos de coágulo sanguíneo de pessoas que receberam a vacina AstraZeneca Covid-19, o que é 25 casos a mais do que o relatado anteriormente em 18 de março, de acordo com um comunicado da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde na quinta-feira.

Mas os especialistas insistem em dizer que os números permanecem baixos e os benefícios da vacina superam em muito os riscos de infecção por Covid-19. Holanda interrompeu o uso de vacina AstraZeneca para menores de 60 anos. Alemanha e outros países voltaram a usá-la, mas com restrições.

Israel no bem-bom

A taxa de mortalidade por Covid-19 caiu mais de 90% desde o pico da pandemia, em meados de janeiro. A entrada em academias, hotéis, teatros e shows está disponível para quem possuir o “passe verde”, aplicativo que comprova que as pessoas foram totalmente vacinadas ou presumiram imunidade após contrair a doença. Em Tel Aviv, as praias estão lotadas para o feriado da Páscoa. Quando o sol se põe, milhares de pessoas vão aos bares e restaurantes. Embora esses locais devam escanear o “passe verde” das pessoas, que tem um código QR, muitos presumem que seus clientes estão imunizados e não exigem a apresentação.

Novos dados mostram que vacinas americanas são altamente eficazes

Há uma ótima notícia no front das vacinas: o CDC afirma que as vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna oferecem forte proteção – não apenas contra doenças, mas também contra infecções. Ambas as vacinas requerem duas doses. Após a vacinação completa, ambas as vacinas foram 90% eficazes na prevenção de infecções, incluindo infecções sem sintomas, de acordo com um estudo no Relatório Semanal de Morbidez e Mortalidade do CDC. Com apenas uma dose, as vacinas foram cerca de 80% protetoras, disse o relatório. O estudo analisou como as vacinas protegeram cerca de 4.000 profissionais de saúde e socorristas.

Está começando…

“Na guerra, qualquer buraco é trincheira”, reza o ditado. Na confusão atual, sobram braços para receber qualquer vacina. Porém, com o passar do tempo e das notícias sobre as vacinas, está ficando claro que as mais seguras e eficazes, para a faixa etária mais ampla e contra o maior número das variantes conhecidas, são as duas americanas Pfizer e Moderna.

E quando a poeira começar a baixar, o mais provável é que, começando pelos mais abastados (como o Bispo Macedo, que foi se vacinar em Miami) – haja pressão por receber uma dessas duas vacinas e não outras.

Na Espanha já é legal que, havendo aceitado se vacinar, o cidadão se negue a receber a vacina X e pleiteie receber a vacina Y.

A Disney que se cuide. Os russos vêm aí!

Há duas semanas as autoridades russas afirmaram publicamente que a Sputnik V garante dois anos de imunidade e que é igualmente eficaz para todas as faixas etárias. A partir de sua conta oficial no Twitter, a empresa responsável pela vacina informou que levará para a Rússia aqueles que acompanharem a conta, dando a entender que em breve haverá um sorteio de passagens para os vencedores viajarem para receber a vacina.

Soberana não é somente nome de cerveja

Soberana 02 é o nome de uma das cinco vacinas desenvolvidas por cientistas em Cuba que entram na fase final de testes este mês. Injetável, com duas doses em intervalos de semanas entre cada uma, além de um possível reforço. Não necessita de congeladores.

A Quarta Onda

“Vou refletir sobre o sentimento recorrente que tenho de desgraça iminente… Temos muito pelo que esperar, tantas promessas e potencial de onde estamos e tantos motivos para ter esperança. Mas agora, eu ‘ estou com medo”, disse a Dra. Rochelle Walensky, diretora do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), americano. Ela observou que grande parte do progresso recente do país contra a Covid-19 foi apagado por um aumento nas novas infecções em todo o país. Os americanos estão viajando novamente, com milhões voando e quebrando recordes de pandemia. As multidões nas férias de primavera aumentaram em destinos de praia populares, incluindo o sul da Flórida, onde os líderes locais disseram que os veranistas eram mais do que podiam suportar. Pelo menos 27 estados tiveram uma média de pelo menos 10% mais casos a cada dia na semana passada em comparação com a semana anterior, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Mais uma má notícia para os idosos

Uma pesquisa dinamarquesa sugere que uma primeira infecção com o novo coronavírus fornece apenas 47% de proteção contra uma segunda infecção para aqueles com 65 anos ou mais, em comparação com 80% de proteção em todas as faixas etárias. Esses achados reforçam a importância do distanciamento físico e da vacinação, mesmo entre aqueles que já tiveram Covid-19. O estudo descobriu que o nível de proteção contra a reinfecção permaneceu estável por mais de 6 meses. No entanto, não levou em consideração novas variantes do vírus, infecção com a qual pode fornecer menos imunidade contra reinfecção. Um fator chave que determinará quando a vida pode voltar ao normal após a pandemia é a facilidade com que as pessoas podem ser reinfectadas.

A Covid-19 pelo mundo afora

País Notícia
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas Chile O país acaba de fechar suas fronteiras para o mundo por um mês. Sábia medida. Na Sexta-feira Santa, o país superou os 8 mil casos diários pela primeira vez na pandemia. Houve também quase 100 mortos e a positividade foi de 10% (o dobro do mínimo aceitável). Cifras ridículas se comparadas às nossas, porém catastróficas para uma nação plenamente alfabetizada que dá valor à morte. Entre as seis variantes do coronavírus detectadas no país, prevalecem a britânica e a brasileira. As outras são: P.2 (Rio de Janeiro, Brasil); B.1.427 / 429 (Califórnia, Estados Unidos); B.1.525 (Nigéria); e B.1.526 (Nova York). Uma pessoa morreu vitimada pela cepa britânica. Até o momento não há reporte da variante sul-africana. No caso da variante britânica, 58% correspondem a passageiros, e 76%, no caso da brasileira.
Argentina Argentina O presidente, Antônio Fernández, que completou 62 anos nesta sexta-feira (02), apesar de imunizado testou positivo para a Covid-19. O diagnóstico positivo foi decorrente de um teste rápido do tipo antígeno. O presidente ainda aguarda o resultado do exame RT-PCR para a confirmação completa do quadro. Segundo a publicação científica The Lancet, o imunizante Sputnik tem cerca de 91% de eficácia contra o novo coronavírus, o que não significa que a pessoa vacinada não possa contrair o vírus e transmiti-lo. Quem foi imunizado pode ser reinfectado novamente e transmitir o vírus.
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas União Europeia Da França à Espanha, da Alemanha à Grécia, regras rígidas estão em vigor para conter a propagação do coronavírus. A Europa pode não estar sujeita às drásticas medidas de bloqueio introduzidas para combater a primeira onda de coronavírus há um ano, mas muitos países ainda enfrentam outra Páscoa de reuniões e movimentos bastante reduzidos.
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas França Novas restrições entraram em vigor em todo o país a partir das 19h de sábado, que limitam as viagens a até 10 km (seis milhas) de casa, na ausência de um dos motivos “imperativos” permitidos. As declarações juramentadas conhecidas como “atestados” serão necessárias para qualquer pessoa que viaje fora dessas regras.
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas Reino Unido Boris Johnson adverte contra reuniões internas de Páscoa, e põe Paquistão, Bangladesh, Kenya e Filipinas na lista negra dos países proibidos de pousar na terra da Rainha (“Oh, dear!”).
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas Índia As maiores cidades se preparam para novas restrições depois que as infecções atingiram um pico de seis meses. O estado mais rico da Índia, Maharashtra, foi responsável por mais da metade dos 89.129 novos casos relatados pelo ministério nacional da saúde nas últimas 24 horas, com um registro de 47.827 infecções. A média (7 dias) de número de mortos pela Covid-19 na Índia (714) ainda é 4,5 vezes MENOR que a média brasileira (3.119).

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *