Covid-19 pelo mundo afora: 15-11-20

Covid-19 pelo mundo afora: 15-11-20
image_pdfimage_print

Uma amiga minha, tão querida quanto sensata, confessou ler, mas nunca compartilhar, o que eu posto sobre a Covid-19. Deprimente demais, ela disse. E como eu gostaria que fosse deprimente de menos! Há tempos, porém, aprendi a não lutar contra a realidade, ela sempre vence.  Eu ficaria feliz, por exemplo, diante do desastre na Europa, na América do Norte, na Rússia, no Japão e na Indonésia, etc, se não fosse por me sentir como o sujeito que, caindo a pique de um vigésimo andar… ainda assobia ao passar pelo sétimo.

A Covid-19 pelo mundo afora

O governo da Austrália endossou uma política nacional de vacinação da Covid-19. A vacina estará disponível gratuitamente para todos os australianos qualificados para o Medicare e para a maioria dos portadores de visto. Será voluntária, mas o governo federal se reservou o direito de torná-la uma condição de entrada quando a Austrália abrir suas fronteiras.

A Suécia, cuja estratégia iconoclasta de combate ao vírus foi um fracasso, registrou 5.990 novos casos na sexta-feira, a mais alta desde o início da pandemia. A taxa de mortalidade per capita da Suécia é várias vezes maior do que a de seus vizinhos nórdicos, e apenas um pouco menor do que na Espanha.

A Rússia relatou seu pior dia para novas infecções desde o início da pandemia, com 21.983 confirmadas na sexta-feira, enquanto Moscou se prepara para fechar restaurantes e bares durante a noite.

Nos Estados Unidos, autoridades de saúde do governo alertaram que dezenas de milhares de americanos morrerão nas próximas semanas. Nas próximas quatro semanas, as mortes poderiam chegar a 282.000. O número de mortos na quinta-feira era de 242.423.

A Itália, com quase um quarto da população do Brasil, na sexta-feira registrou 550 mortos, versus  a média brasileira dos últimos 7 dias de 364 mortes. É para ficar feliz ou preocupado?

Por que a Dinamarca decidiu matar todos os seus visons cultivados?

As autoridades de saúde dinamarquesas temiam que um conjunto de mutações em uma variante do vírus chamada cluster 5, que havia infectado pelo menos 12 pessoas, pudesse tornar uma vacina potencial contra o coronavírus menos eficaz. Uma das mutações ocorre em uma parte do vírus – a  proteína spike – que é alvo de muitas vacinas potenciais. Em estudos de laboratório, as células com essa variante do vírus foram expostas a anticorpos, que não agiram tão fortemente como com outras variantes do coronavírus.

A reação a anticorpos em células de laboratório não indica necessariamente que o vírus mutado seria resistente às vacinas na vida real; apenas levanta essa possibilidade.

Seis países – Dinamarca, Holanda, Espanha, Suécia, Itália e Estados Unidos – já relataram casos de visons cultivados infectados com o vírus que causa a Covid-19. 

Afinal, a vacina da Pfizer contém o vírus?

O objetivo de uma vacina é estimular o sistema imunológico a gerar respostas de células T e anticorpos protetores de longa duração contra a SARS-CoV-2 e prevenir a infecção subsequente após a exposição ao vírus. A vacina da Pfizer e a BioNTech usa uma molécula genética chamada “RNA mensageiro” para fazer com que nossas próprias células produzam uma proteína viral, que fornece instruções para uma célula humana fazer uma versão inofensiva de uma proteína-alvo, ou imunógeno, que por sua vez ativa a resposta imunológica do corpo contra o vírus SARS-CoV-2.

Ao contrário de outras vacinas, as vacinas de mRNA não contêm o vírus em si e, portanto, não apresentam risco de infecção.

A Moderna está em fase final de testes com uma vacina de RNA própria, e os primeiros testes clínicos com outras vacinas de RNA estão em andamento na China, Inglaterra, Índia, Singapura, Coréia do Sul e Tailândia.

Descobrindo a América

Restaurantes, academias, cafés e outros locais fechados lotados foram responsáveis por cerca de 8 em cada 10 novas infecções nos primeiros meses da epidemia de coronavírus nos Estados Unidos, de acordo com pesquisa publicada na revista Nature, na terça-feira. O estudo, que usou dados de mobilidade de celulares de 10 cidades dos Estados Unidos de março a maio, também explica por que bairros de baixa renda foram os mais atingidos: locais públicos mais lotados do que nas mais afluentes, e os residentes tinham mais mobilidade em média, provavelmente por causa das demandas de trabalho. Pelo visto, está tão difícil fazer com que as pessoas fiquem em casa que é preciso provar o óbvio ululante.

Boa notícia? Para nós, nem tanto.

A Eli Lilly disse que seu tratamento, denominado bamlanivimab, deve ser administrado o mais rápido possível após um teste de coronavírus positivo e dentro de 10 dias após o desenvolvimento dos sintomas. Ele não deve ser usado em pacientes hospitalizados. Está autorizado para pessoas com 12 anos ou mais e em risco de desenvolver uma forma grave de Covid-19 ou de serem hospitalizadas devido à doença, incluindo pessoas com mais de 65 anos e obesas. Inicialmente não haverá o suficiente para conter um vírus sequer nos Estados Unidos.

Crianças não infectadas têm anticorpos contra o coronavírus

Cientistas encontraram anticorpos que reconhecem o SARS-CoV-2 no sangue de pessoas que nunca contraíram o vírus. As crianças são particularmente propensas a abrigar esses anticorpos, o que pode explicar por que a maioria das crianças infectadas tem doença leve ou nenhuma.

Business is business

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as farmácias brasileiras já venderam mais de 1 milhão de testes rápidos da Covid-19, aquele da picadinha no dedo. São cerca de 5 mil testes por dia. Na Drogaria São Paulo o teste hoje sai por R$ 139,90. Faça as contas.

No começo da pandemia esses testes ficaram conhecidos por apresentar resultados falsos, algo sobejamente reportado por artigos científicos. Falsos negativos podem levar a um comportamento imprudente de pessoas que não sabem que estão doentes.

Digam o que digam… voar ainda é um risco e tanto.

Antes da pandemia, um Boeing 767 acomodava 165 passageiros na classe econômica. A Delta atualmente tem um limite de capacidade de 70% em várias cabines, incluindo a classe econômica, elevando o número máximo de passageiros para cerca de 115. Mesmo em um voo em que a classe econômica é de 70%, cerca de 50 assentos estão garantidamente vazios. Isso, somente até 6 de janeiro, porém. Depois ela se junta a seus pares, cujas precauções são menores.

O melhor parceiro sexual nessa pandemia ainda é você

“Vários estudos mostraram que o vírus Covid-19 não se espalha através da relação sexual, seja vaginal ou anal. Mas há uma chance muito alta de contrair o vírus através das gotículas do nariz ou da boca ao falar, tossir ou espirrar ”, diz o Dr. Sanjay Gupta, médico e consultor sênior da CNN International.

“Para você ser infectado, você precisa de mil partículas virais. E na intimidade sem máscara, você pode chegar a esse número em menos de cinco minutos. Além disso, uma pessoa infectada pode não apresentar quaisquer sintomas. E então beijar uma pessoa desconhecida… basta ela ficar perto para infectar você.”

Veja outros posts relacionados...

1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *