Dor nas costas e saúde mental estão intimamente ligadas

Dor nas costas e saúde mental estão intimamente ligadas
image_pdfimage_print

Ansiedade, depressão, sensibilidade ao estresse e problemas de sono afetam igualmente pessoas de todas as rendas, aumentando o risco de desenvolver dores nas costas.

“Disseram-me para fortalecer este músculo ou alongar aquele outro, ou injetar esta substância em uma lesão, ou eletrizá-la com calor, eletricidade ou ultrassom… e, quem diria?!… às vezes realmente funcionou!”

Alex Hutchinson

Autor: Thomas G. Ciccone

A dor nas costas parece ser uma doença comum em todo o mundo e, muitas vezes, ocorre simultaneamente com problemas de saúde mental.

Em um novo estudo publicado no General Hospital Psychiatry,1 pesquisadores descobriram que muitos países com predominantemente pessoas na faixa de renda baixa a média, sofrem de dores nas costas e dores crônicas nas costas, da mesma forma que as pessoas em nações de alta renda mais desenvolvidas.

Essas pessoas também relatam sofrer de vários problemas de saúde mental, incluindo ansiedade, depressão, sensibilidade ao estresse, problemas de sono e psicose – problemas que parecem ter uma relação intrínseca com sintomas de dor nas costas.

Como a dor nas costas e a saúde mental se relacionam

Muitos estudos exploraram a possível relação entre dor nas costas e problemas de saúde mental. No entanto, a escassez de dados epidemiológicos de países menos desenvolvidos tem impedido os médicos de compreender melhor como a dor nas costas e a saúde mental podem afetar uma população multinacional de pacientes muito maior.

Neste novo estudo, um grande empreendimento epidemiológico chamado Pesquisa Mundial de Saúde (WHS) organizou uma iniciativa transversal baseada na comunidade, colhendo dados de 190.593 adultos de todos os cantos do mundo. Quarenta e três países de renda média baixa (LMIC) foram incluídos no grupo de estudo: Índia, China, Rússia, Brasil, Paquistão e outros asiáticos e africanos.

Adultos (≥18 anos) foram questionados se eles sentiram dor nas costas nos últimos 30 dias. Se eles sentiram dor nas costas a cada 1 dos 30 dias, foi relatado como tendo dor crônica nas costas. Para determinar os tipos de sintomas depressivos encontrados nos pacientes, o WHS incorporou sua própria versão do Mental Health Composite International Diagnostic Interview (CIDI).23 Os pacientes também foram questionados para determinar se eles experimentaram vários problemas de saúde mental, incluindo:

  • Problemas de sono
  • Psicose (experiências delirantes e alucinatórias)
  • Ansiedade
  • Sensibilidade ao estresse


Em 190.593 adultos (idade média 38,4; 50,7% mulheres), a dor nas costas foi prevalente: 35,1% dos pacientes relataram algum tipo de dor nas costas e 6,9% tinham dor lombar crônica. Os pesquisadores também descobriram que várias características do paciente estavam relacionadas à dor nas costas, incluindo:

  • Idade
  • Sexo feminino
  • Baixa renda
  • Baixa escolaridade
  • Ambiente urbano
  • Fumante atual
  • Consumo de álcool


Mas talvez a tendência mais reveladora nos dados seja a frequência com que os problemas de saúde mental foram associados à dor. Se os pacientes apresentavam qualquer tipo de depressão ou psicose, ansiedade ou problemas de sono, havia uma prevalência muito maior de alguma forma de dor nas costas ou dor crônica nas costas. Na verdade, todos os tipos de doenças mentais foram associados a chances 2 vezes maiores de desenvolver algum tipo de dor nas costas.

O estresse parecia ser outro fator importante para os pacientes. Quanto maior a gravidade da sensibilidade ao estresse, mais linear será o aumento na prevalência de ambas as formas de dor nas costas. A depressão também mostrou uma forte conexão com a dor nas costas, principalmente com a dor crônica nas costas.

Durante anos, os pesquisadores exploraram a noção de que a dor nas costas pode influenciar a saúde mental e vice-versa. Mas, de acordo com os autores do estudo, esta nova evidência adiciona evidências epidemiológicas substanciais à discussão. Ao mapear as características dos pacientes em relação à dor nas costas e à saúde mental no contexto de uma coorte multinacional e multirracial, o estudo apresentou algumas descobertas inovadoras.

Por exemplo, a depressão e a dor nas costas há muito são consideradas bidirecionais, principalmente em estudos que examinam as populações ocidentais.45 No entanto, este novo estudo posicionou pacientes em diferentes pontos no espectro da depressão, incluindo depressão subsindrômica e breves episódios depressivos. Os médicos puderam ver como, independentemente do nível dos sintomas depressivos, a depressão e a dor nas costas, esses pacientes mostraram uma alta taxa de comorbidade, algo que poderia ser indicativo de uma “fisiopatologia compartilhada subjacente”, escreveram os autores.

Os pesquisadores também descobriram que pacientes com transtorno psicótico (incluindo esquizofrenia) tinham 2,05 e 2,68 vezes mais chances de sofrer de dor nas costas e dor crônica nas costas, respectivamente.

Conclusão:

Os médicos precisam estar alertas para os pacientes com altos níveis ou longa duração de dor por eles estarem em risco de sofrer transtornos psiquiátricos que merecem tratamento independente de terapias para a dor, mas que devem ser incorporadas a todas as formas de gerenciamento interdisciplinar da dor.

Tradução livre de “International Study Finds Back Pain and Mental Health Closely Tied”, publicado no Practical Pain Management (PPM)

Assista aqui vídeos relacionados:

Gerenciando a dor lombar

Transtorno de Ansiedade Generalizada

Veja outros posts relacionados...

nenhum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *