Dores frequentes. Escolha o seu.

Dores frequentes. Escolha o seu.
image_pdfimage_print

Após uma farmacêutica multinacional pesquisar as dores mais frequentes todo ano em duas ou três dezenas de países, a lista é sempre encabeçada por dores de cabeça e dores musculoesqueléticas ou vice-versa. No Brasil não é diferente. Nesse post, eu apresento o que o dorcronica.blog.br está fazendo para ajudar os que sofrem com essas dores a achar mais rapidamente o caminho que conduz ao diagnóstico e tratamento certos.

“Inteligência não é a capacidade de armazenar informações, mas de saber onde encontrá-las.”

Albert Einstein

Atenção! Leia este post com calma. Eu lhe garanto que isso irá lhe render tempo e dinheiro no futuro.

Imagine o seguinte (desagradável) incidente. Ao sair da cama sente uma fisgada no lado direito das costas. No fim do dia, você já se senta, anda e até escova os dentes ajeitando o corpo em função do incômodo. No dia seguinte, a dor ainda está aí.

Ou um cenário pior ainda: há mais de meio ano que essa dor não vai embora. De fato, estranhamente ela vem e vai. Some por alguns dias e depois retorna como se nada. Você fez massagem com uma senhora que disseram a você ter mãos prodigiosas, quase se intoxicou com Flores de Bach, tentou anti-inflamatórios clandestinos e de passagem até aprendeu meditação. A dor, porém, ali ficou.

Em ambos os casos o que se requer é um médico, claro. Um especialista naquilo “que você tem”. Mas o que é “que você tem”?

Você nem suspeita o que pode ser; não estudou para isso e sente tontura só de ler a bula de um remédio para a tosse. Nesse caso, a escolha do médico certo pode ser um desafio.

Eu passei por isso há vinte e tantos anos por causa de uma dor no pescoço. Demorei meses num voo cego desperdiçando tempo, dinheiro e fígado em consultas médicas que levaram a nada. Olhando pelo retrovisor, hoje estou convicto de que teria me dado melhor se eu tivesse tido ao menos uma ideia do que estava acontecendo. Não para me automedicar, que não sou burro, mas para pegar em tempo a trilha da medicina certa.

Pensando nisso decidi hospedar no blog uma galeria de vídeos curtos descrevendo rapidamente as dores mais frequentes. E quais são essas? A lista é sempre encabeçada por dores de cabeça e dores musculoesqueléticas ou vice-versa.

E no Brasil, onde 1 em cada 4 habitantes diz conviver com dor no dia a dia?

Nada diferente do geral. Dores de cabeça, na lombar, nas costas e articulações estão entre as principais dores mais comuns sentidas por homens e mulheres, podendo ocorrer em qualquer idade.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ibope Conecta junto com a marca Advil… “cerca de 78% dos participantes da pesquisa falaram que tiveram pelo menos uma dor de cabeça nos últimos três meses. Em segundo lugar, com 63% dos participantes relatando seus casos, ficaram as dores nas costas. E em terceiro lugar, quase em igual proporção de pessoas com dores nas costas, ficaram as dores musculares, com 61% das pessoas pesquisadas dizendo que passaram por essas dores.”

Eu, portanto, contratei uma licença da Viewmedica, uma videoteca americana em constante evolução voltada para a educação de pacientes – que é também o único objetivo do dorcronica.blog.br. Por enquanto, são 25 vídeos de curta duração – menos de 2 minutos cada – de excelente qualidade pedagógica e visual. Visite agora mesmo clicando aqui.

O propósito da iniciativa é duplo:

  • ajudar pessoas que sofrem com dores a achar os profissionais da saúde que melhor podem ajudá-los e
  • ajudar também esses profissionais de saúde a explicar tópicos médicos complexos para seus pacientes.

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *