Os posters do 14º. CBDOR

Os posters do 14º. CBDOR

No 14º.CBDOR realizado recentemente em São Paulo foram apresentados, na forma de posters, sínteses de estudos de campo, de casos e coisas do gênero, na área da dor. Aportes diversos – acadêmicos, profissionais etc. – vindos de todos – literalmente todos – os cantos do Brasil. Os temas, muito variados, iam do Pronto Socorro da Dor à Dor Lombar Pós-Parto, passando por eletroacupuntura, pensamentos catastróficos, dor oncológica etc. – abrangendo populações de idosos, mulheres, moradores de rua…

Eu percorri os posters fotografando apenas o que me interessava. Concentrei-me, claro, em educação em dor, o foco do blog. E três trabalhos me chamaram a atenção.

O primeiro foi o uso de infográficos na explicação de assuntos tais como: Dor Crônica, Elaboração de Infográfico como Ferramenta para Educação de Leigos. O que há por trás é um esforço por democratizar o conhecimento sobre dor recorrendo a recursos didáticos de fácil compreensão pelo grande público – e que coincide com a minha linha de trabalho. Parabéns para os autores.

O segundo trabalho, denominado Projeto Luz, Câmera e Movimento: Educação em Dor para Jovens do Ensino Fundamental de Escolas Públicas. A empreitada, a cargo de acadêmicos da Universidade de Taubaté/SP (Departamentos de Fisioterapia e Comunicação Social), ensinou o(a)s menino(a)s, muito(a)s dele(a)s carentes, a tirar fotos, criar um curta-metragem, montar um jornal de verdade… tudo relacionado à dor. Na minha humilde opinião, esse(a)s menino(a)s fizeram mais pela educação em dor do que todas os alunos das melhores faculdades de medicina e fisioterapia sediadas nas maiores capitais do Brasil, juntos e juntas, respectivamente.

O terceiro trabalho, também da mesma equipe da Universidade de Taubaté, chamou INFORMA DOR, um Programa voltado à População. Ele consistiu de palestras e vídeos destinados a docentes de ensino fundamental e a divulgação de informações à comunidade até por um programa de rádio!

Eu paro por aqui, confesso, um tanto quanto emocionado. Já ouvi tanta gente se lamentando de que o Ministério disso e daquilo ainda não aprova um pleito da classe (médica, suponho) pelo qual o estudo da dor teria presença garantida formalmente nas grades curriculares das faculdades relacionadas à saúde, e blá, blá, blá. E aí vem esse pessoal de Taubaté e se manda para a rua, educar em dor meninos carentes e seus professores! Duvido que o exemplo dê frutos, mas faço a minha parte divulgando o feito, que merece palmas.

Se o caro leitor se interessar por conhecer fugazmente os (poucos) trabalhos que eu fotografei no CBDOR, eles são relacionados a seguir. Clicando em qualquer um deles aparece(m) a(s) foto(s) correspondente(s). Agora, tenha presente que eu não sou fotógrafo e nem um usuário assíduo do celular. Então não reclame se tiver que se contorcionar todo para enxergar o que aparecer na tela.

Os posters do 14º. CBDOR

A dor do mora(dor) de rua na região central da cidade de São PauloVisualizar
A importância da comunicação entre profissionais de saúde e pacientes com dor crônica: revisão de literaturaVisualizar
Acupuntura no tratamento adjuvante de migrânea crônicaVisualizar
AmenizaDOR: as experiências dor pacientes que se transformam em “satisfação” dos cuidados prestadosVisualizar
Amplificação da técnica de punho e tornozelo no alívio imediato da dor de origem musculoesqueléticaVisualizar
Análise da função motora e muscular do membro pélvico de ratos submetidos a lesão com cristal de urato e tratados com crioterapiaVisualizar
Associação de dor persistente e síndrome de fragilidade em idososVisualizar
Associação relevante entre enxaqueca crônica e a síndrome dolorosa miofascialVisualizar
Avaliação da migração leucocitária na articulação do joelho de ratos em modelo experimental de gota induzido por cristais de uratoVisualizar
Avaliação da qualidade de vida e pacientes com fibromialgia atendidas no ambulatório de dor crônica do hospital universitário da UFMAVisualizar
Avaliação de prevalência de dor através de escalas em pacientes críticos de uma unidade de terapia intensiva de hospital terciário de São PauloVisualizaro
Avaliação do efeito analgésico imediato da acupuntura de balanceamento na dor lomba inespecíficaVisualizar
Bloqueio de gânglio esfenopalatino para cefaleia pós-punção da dura-máter refratária às medidas conservadoras e à infusão de sangue autólogo no espaço periduralVisualizar
Como calcular o valor do seu atendimento médicoVisualizar
Correlação entre catastrofização da dor e demais sintomas psicossomáticos presentes em mulheres fibromiálgicasVisualizar
Curso anual sobre dor – uma visão interdisciplinar da dorVisualizar
Descompressão neurovascular de nervos cranianos para tratamento de cefaleia em salvas-símile refratária a bloqueio intervencionista da dorVisualizar
Diminuição de consumo de opioides com técnica analgésica multimodal e bloqueio de plano eretor da espinha em cirurgia cardíaca de grande porteVisualizar
Dor crônica abordagem por médicos residentes em medicina de família e comunidade em Curitiba – ParanáVisualizar
Dor crônica elaboração de infográfico como ferramenta para educação de leigosVisualizar
Dor lombar pós-partoVisualizar
Dor no pós-operatório mediato de cesariana: intensidade, analgesia e prejuízos nas atividades cotidianasVisualizar
Dor, uma experiência individual. Relato de dois casos em pediatriaVisualizar
Efeito agudo da meditação na intensidade de dor e no nível de ansiedade de pacientes com fibromialgiaVisualizar
Efeito da acupuntura no alívio da dor em pacientes atendidos em hospital do distrito federalVisualizar
Efeito da educação em neurociência da dor e fisioterapia aquática na percepção de dor e qualidade de vida em mulheres com fibromialgiaVisualizar
Efeitos da crioterapia de imersão sobre a função motora de ratos submetidos a modelo d gota por cristais de uratoVisualizar
Eletroacupuntura diminui a dor inflamatória persistente por meio da ativação da via receptor formil peptídeo 2 – anexina a1/opióide periféricaVisualizar
Epidemiologia da dor em atendimentos ortopédicos de urgênciaVisualizar
Essa modalidade de tratamento da dor é para todos os pacientes?Visualizar
Estudo comparativo da sensação de culpa e variáveis psicológicas em pacientes com migrânea crônica e controlesVisualizar
Estudo da incidência e intensidade da dor aguda pós-operatória em centro hospitalar universitárioVisualizar
Evaluation of the descending inhibitory system of pain in fibromialgic women in use of tricyclics: explorratory study Visualizar
Gerenciamento da dor oncológica de pacientes em cuidados paliativos durante o período de internaçãoVisualizar
Idosos cuidadores e comorbidadesVisualizar
Implantação da avaliação do 5º sinal vital utilizando o índice de manejo da dor resultados preliminaresVisualizar
Influência da dor muscular aguda no mecanismo de treinamento cruzadoVisualizar
Informa dor, um programa de educação em dor voltado à populaçãoVisualizar
Intervenção fisioterapêutica em lesão completa de manguito rotadorVisualizar
Intervenção interdisciplinar na prevenção de quedasVisualizar
Manuseio da dor em indivíduos estressados da equipe de enfermagem oncológica: ensaio clínico randomizadoVisualizar
Measurements of pain before and after ballet classes in elderly womenVisualizar
Membros inferiores em parâmetros de saúde… no processo de envelhecimentoVisualizar
O comportamento dos brasileiros que sofrem com dores crônicas na internetVisualizar
Pain Catastrophic thought in daughters of women with fibromyalgia: case-control studyVisualizar
Pensamento catastróficos e intensidade de dor em mulheres submetidas à cesarianaVisualizar
Perfil do paciente com fibromialgiaVisualizar
Perfil epidemiológico das pacientes com fibromialgia atendidas no ambulatório de dor crônica do hospital universitário da UFMAVisualizar
Principais queixas ou sintomas de lesões relacionadas à corrida e caracterização de dor em corredores brasileirosVisualizar
Projeto dor de mora(dor) de ruaVisualizar
Projeto integrador: potencialidade para interprofissionalidade no manejo da dor crônicaVisualizar
Projeto luz, câmera e movimento educação em dor a jovens do ensino fundamental de escolas públicasVisualizar
Provável síndrome de Guillain-Barré em paciente portador do vírus do HIVVisualizar
Radiofrequência pulsada no tratamento de dor fantasma de membro superior um relato de casoVisualizar
Resiliência e dor em pacientes com fibromialgiaVisualizar
Terapias de abordagem em um paciente com neuralgia pós-herpética de difícil controleVisualizar
Tratamento da dor oncológica – manejo farmacêutico em pacientes paliativosVisualizar
Tratamento de dor oncológica em paciente com câncer de bexigaVisualizar
Tratamento dos pacientes com síndrome dolorosa pós-cirurgia de coluna atendidos no ambulatório de dor crônica do hospital universitário da UFMAVisualizar
Tratamento interdisciplinar de dor orofacial e cervicalVisualizar
Tratando a “dor da dor”: intervenção terapêutica em grupo baseada ne terapia de aceitação e compromissoVisualizar
Uso de metadona no intraoperatório para redução de dor e consumo de opioide no pós-operário uma metanáliseVisualizar
Workshop de intubação orotraqueal e manejo de vias aéreasVisualizar

Veja outros posts relacionados...

nenhum

3 comentários
  1. Gostaria de agradecer a divulgação e o interesse pelo trabalho “Dor crônica: elaboração de infográfico como ferramenta para educação de leigos”. O desejo desse trabalho surgiu devido ao contato com inúmeros pacientes com dor que sofrem por falta de educação no tema. Fico muito feliz em saber de iniciativas similares como a deste blog. Parabéns!
    Estou à disposição para quaisquer esclarecimentos ou parcerias.
    Grata!
    Mariella Passarelli

    1. A sua iniciativa (o infográfico) é boa em si mesma, porém é muito melhor pelo que significa: a percepção de que a junção de imagem e texto em espaços limitados é uma solução prática, precisa e barata para divulgar informações sobre a dor e seu gerenciamento. Os diversos recursos educacionais abrigados no blog provam o muito que eu acredito nesse conceito. Você tomou o cuidado de consultar um bom grupo de gente qualificada sobre o conteúdo do seu infográfico no intuito de validá-lo. Perfeito e suficiente. Nada contra a Medicina Baseada em Evidências, porém o Brasil é um país grande e pobre demais para esperar que resultados de revisões de pesquisas randomizadas e controladas avalizem orientações simples sobre dor que as pessoas menos complexas devem saber, seja para se prevenir ou para se aliviar. Tomara que outros infográficos, ou recursos parecidos, continuem na sua mira. Seria ótimo divulgá-los através do blog. Ele foi criado para isso.

  2. Emocionado estamos nós docentes e discentes vinculado aos projetos Luz, câmera e movimento e InformaDor pelas tuas palavras! Este reconhecimento dos pares que têm a verdadeira noção das necessidades quanto ao tema são de grande relevância e nos dá mais força para seguirmos em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *