Psicologia da Dor

Psicologia da Dor

Você acha que a quarentena é um problema? Eu tenho a solução!
Os tempos que correm são desafiadores não só para quem já sofre de doenças crônicas, assim como para quem convive com essa pessoa. Mas são também desafiadores para os que tiveram a sorte de estudar para curar gente, no físico e no mental. Atualmente profissionais da saúde física – médicos, enfermeiros, e até faxineiros em hospitais – já estão fazendo a sua parte, correndo riscos literalmente letais. A quarentena, todavia, traz um risco mental mais do que cientificamente comprovado e previsto, para um número enorme de pessoas que ainda não foram bater na porta de hospitais. E quem é que deveria se apresentar para reduzi-lo? Eu tenho uma proposta a esse respeito.
Estresse: você precisa saber!
Sites e revistas propõem inúmeras medidas para lidar com o estresse. “Faça isso, faça aquilo...” e nenhuma delas parece funcionar. O número de estressados crônicos só aumenta. Por que isso? Porque são comandos que vem de fora da pessoa, como remédios comprados em farmácia. Convém tentar outra estratégia. Que tal mudar para: “Penso isso, penso aquilo...”?
A depressão é curável? – Post 5
Conheça mais um post da nossa série sobre DEPRESSÃO, com a opinião do quinto dos 17 médicos espalhados pelo mundo que respondem à pergunta sobre se ela é mesmo curável. Aqui, a opinião do Dr. Rodrigo del Córdoba Rojas, da Colômbia.
A depressão é curável? – Post 4
Voltamos a publicar mais um post da nossa série sobre DEPRESSÃO, com a opinião do quarto dos 17 médicos espalhados pelo mundo que respondem à pergunta sobre se ela é mesmo curável. Conheça a opinião do Dr. M. Bauer, da Alemanha.
A depressão é curável? – Post 1
Depressão e dor crônica costumam andar juntas. Uma alimenta a outra e vice-versa. Pensando em termos de engenharia reversa conclui-se então que curando a depressão, cura-se também a dor crônica. É isso mesmo? Pode ser, porém... a depressão é mesmo curável? A partir dessa semana 17 médicos nos quatro cantos do planeta começam a responder essa pergunta. Veja aqui o que diz o primeiro da lista.
Com humor – Lembre sempre – Dói menos
Gostemos ou não, as terapias farmacológicas, e em geral também as não farmacológicas, ainda não conseguem confortar muitas pessoas com dores crônicas. O humor não é solução, mas pode ser um bom paliativo, ou reforçar outras terapias. Rir libera endorfinas no cérebro e isso ajuda a controlar a dor. Prepare as suas (endorfinas). Este post irá liberá-las.
Estresse crônico: Como se livrar dele antes que ele se livre de você!
Hoje há aplicativos para tudo: pedir pizza em casa, marcar compromissos, jogar poker... e também os há para acompanhar hipertensão, fibromialgia, enxaqueca... porém, quantos aplicativos podem aliviar suas dores evitando se estressar à toa? Conheça aqui como funciona um que já é campeão de audiência. E lembre que o estresse dói e até mata. Teste, aproveite e divulgue.
“Psicologia e dor”. Como é que isto não foi escrito antes?
Ler e comentar um bom livro que trata de um bom tema é um prazer. “Psicologia e Dor – O que você deve saber”, faz jus a seu título: ele realmente cobre (quase) tudo o que um profissional da saúde deveria saber para prestar os primeiros auxílios psicológicos ao seu paciente com dor, no Século XXI. (Se ele(a) se dispõe a fazê-lo, bem, eis uma outra questão.) Atualizado, completo e muito claro, é um texto que complementa a educação em dor dos... educadores.
O pentágono e o seu estresse
O primeiro passo para tratar do estresse consiste em... conversar a respeito. E ninguém com mais autoridade para fazer isso que o médico. Tempo, um copo d’água e disposição para ouvir, podem resolver. O Pentágono é um passatempo digital que oferece ao estressado uma oportunidade de refletir sobre sua condição. Recomendá-lo aos pacientes pode ajudar muito na relação médico/paciente.