Terapias mente-corpo para as seis dores crônicas mais prevalentes. Post 1: Fibromialgia

Terapias mente-corpo para as seis dores crônicas mais prevalentes. Post 1: Fibromialgia
image_pdfimage_print

Conheça as evidências hoje existentes sobre a contribuição de seis terapias integrativas – tai chi, qi gong, ioga, acupuntura, atenção plena e biofeedback – ao alívio das seis dores crônicas mais prevalentes no mundo: fibromialgia, dor de cabeça, dor lombar, dor no pescoço, osteoartrite e artrite reumatoide. No post de hoje, o foco é a Fibromialgia. 

“Cuide do seu corpo. É o único lugar que você tem para morar”.

Jim Rohn

A pesquisa da neurociência moderna mostra que o cérebro desempenha um papel importante na dor crônica. Tai chi, qi gong, ioga, acupuntura, atenção plena e biofeedback são recursos terapêuticos baseados nesse conceito, que começam a apresentar resultados mensuráveis. Eles oferecem ao praticante a (rara) chance de atingir a conexão mente-corpo, seja para simplesmente se sentir melhor fisicamente e mentalmente, ou para expandir o autocontrole e autoconsciência. Em ambos os casos, o alívio da dor crônica pode ser obtido.

Esse post reproduz uma publicação do NCCIH Clinical Digest, um boletim eletrônico mensal do National Institutes of Health americano, que oferece informações baseadas em evidências cientificamente coletadas sobre essas terapias integrativas.

As contribuições de cada uma são examinadas em relação às seis dores crônicas mais prevalentes na população mundial – fibromialgia, dor de cabeça, dor lombar, dor no pescoço, osteoartrite e artrite reumatoide – e serão apresentadas em uma série de 6 posts. No final de cada um, o blog anexa um vídeo descritivo de curta duração.

Fibromialgia

Revisões sistemáticas recentes e ensaios clínicos randomizados fornecem evidências encorajadoras de que práticas como tai chi, qi gong, ioga, acupuntura, atenção plena e biofeedback podem ajudar a aliviar alguns sintomas de fibromialgia. Os critérios diagnósticos atuais estão disponíveis no American College of Rheumatology.

Nota do blog: Atualmente não são os únicos critérios vigentes. Um consórcio de entidades médicas, públicas e privadas, recentemente publicou outros. Eles foram apresentados em posts anteriores, e também figuram no e-book “Tudo o que você queria saber sobre FIBROMIALGIA e tinha medo de perguntar”.

O tratamento frequentemente envolve uma abordagem individualizada que pode incluir terapias farmacológicas (medicamentos prescritos, analgésicos e AINEs) e intervenções não farmacológicas, como exercícios, treinamento de força muscular, terapia cognitivo-comportamental (TCC), práticas de movimento/consciência corporal, massagem, acupuntura e balneoterapia.

O que a pesquisa mostra?

  • Em 2017, a Liga Europeia contra o Reumatismo (EULAR) avaliou as terapias não farmacológicas, incluindo abordagens de saúde complementares, e reviu recomendações para o tratamento da fibromialgia.
    • Com base na avaliação da acupuntura, práticas de movimento meditativo (por exemplo, tai chi, qi gong e ioga) e redução do estresse com base na atenção plena, a recomendação para cada um era fraca para o uso da terapia.
    • Com base na avaliação de biofeedback, hidroterapia e massagem terapêutica, a recomendação para cada um era fraca contra o uso da terapia.
    • Com base na avaliação da Quiropraxia, a recomendação era forte contra o uso da terapia.
  • Um ensaio clínico randomizado de 2018 envolvendo 226 adultos com fibromialgia descobriu que tai chi frequente e de alta intensidade (ou seja, 2 vezes por semana) reduziu a gravidade dos sintomas em 24 semanas a mais do que exercícios aeróbicos supervisionados. Além disso, o estudo descobriu que os pacientes têm maior probabilidade de frequentar aulas de tai chi do que sessões de exercícios aeróbicos.
  • Uma revisão da Cochrane de 2015 de 61 estudos envolvendo 4.234 participantes predominantemente do sexo feminino com fibromialgia concluiu que a eficácia do biofeedback, da atenção plena, das terapias de movimento e das técnicas de relaxamento permanece obscura, pois a qualidade da evidência era baixa ou muito baixa.
  • Uma revisão Cochrane de 2013 de 9 estudos envolvendo um total de 395 participantes encontrou evidências baixas a moderadas de que a acupuntura melhora a dor e a rigidez em pessoas com fibromialgia, em comparação com nenhum tratamento e terapia padrão. Os revisores também encontraram evidências de nível moderado de que o efeito da acupuntura não difere da acupuntura sham na redução da dor ou fadiga, ou na melhoria do sono ou do bem-estar global.
  • Uma revisão sistemática da Agência de Pesquisa e Qualidade em Saúde (AHRQ) de 2018 sobre o tratamento não farmacológico não invasivo da dor crônica concluiu que exercícios, TCC, massagem de liberação miofascial, tai chi, qigong, acupuntura e reabilitação multidisciplinar (MDR) melhoraram a função e/ou a dor por pelo menos um mês.

Fibromialgia

Não perca os próximos posts abordando as outras dores crônicas: dor de cabeça, dor lombar, dor no pescoço, osteoartrite e artrite reumatoide.

Tradução livre de Mind and Body Approaches for Chronic Pain: What the Science Says, publicado em Setembro 2019.

Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *