Um bom presente de natal

Um bom presente de natal
image_pdfimage_print

A maioria das pacientes que sofrem com dores crônicas precisam ser educadas para entender e controlar melhor sua condição. Os únicos educadores em que elas em geral acreditam são os profissionais que cuidam de sua saúde, especialmente médicos e médicas. Este post é um convite para essas pacientes ajudarem esses profissionais a lhes providenciar a educação necessária.

“O propósito da vida não é ser feliz. É ser útil, ser honrado, ser compassivo, isso vai fazer alguma diferença entre se você simplesmente viveu ou se você viveu bem de verdade.”

– Ralph Waldo Emerson (adaptação do blog)

Através desse post eu quero convidar você a ajudar a si mesma no controle da sua dor crônica, se for mulher. E a ajudar também inúmeras outras mulheres numa condição parecida. Mas antes de lhe dizer como, me acompanhe uns parágrafos a seguir.

Se você já navegou pelo blog seguramente deve ter se surpreendido com a quantidade de informação que ele põe à disposição dos interessados em entender sobre dor crônica. Mais de 500 artigos e posts, postais educativas sobre dor, 8 ebooks, 4 aplicativos, mais de 100 vídeos didáticos, dezenas de questionários de avaliação da dor…

Os interessados, por sua vez pertencem a duas classes, os que sentem dor persistente – como você, provavelmente – e os que cuidam de gente com essa dor. E supõe-se que estes últimos, os profissionais da saúde, repassem o que aprendem sobre dor para os outros, seus pacientes. Isso facilitaria a compreensão de diagnósticos, a adesão aos tratamentos e o posterior alívio da dor, e etcétera.

Certo?

Muito certo. Só que não. Não é assim que funciona na vida real. Por uma série de motivos, o desejado repasse de informação sobre a dor crônica ao paciente, pelo médico ou qualquer outro profissional da saúde, raramente ocorre. Por uma série de motivos, alguns válidos (ex.: o tempo médio da típica consulta médica é cada vez mais exíguo) e outros nem tanto (ex.: “O paciente típico não quer ouvir discursos, e sim o nome dos remédios que irão curá-lo”, segundo ouvi de um médico), que não cabe comentar aqui.

“Sendo humanos queremos evitar a dor e o sofrimento a todo custo. Infelizmente, a vida tem outros planos.”

Dessa forma, eu vejo que 90% da informação que o blog dorcronica disponibiliza a custo zero para seus quase 100 mil visitantes mensais – pessoas humildes e sem dinheiro para pagar por consultas médicas informativas, em muitos casos – tem também chance (quase) zero de chegar até elas.

Agora vamos ao meu convite a você.

Durante todo este ano miserável eu fui construindo um ebook sobre DORES FEMININAS. Aquele da imagem no começo do post. Ele começou com 7 doenças/dores crônicas 100% femininas, como endometriose e cistite intersticial, e depois foi se expandindo até guardar 14 doenças/dores em 220 páginas ilustradas, incluindo desde fibromialgia a ansiedade, passando por vulvodínia, disfunção temporomandibular, depressão etc.

A ideia original foi complementar a informação contida no aplicativo JOGO ALÍVIO MULHER, que hoje já conta com mais de 25 mil downloads. Mas, à vista do ebook, que ficou parrudo e bem ilustrado, fiquei ambicioso e me propus a levar essas 14 doenças até médicas e médicos – principalmente os que tratam de mulheres, como ginecologistas – para estes e estas as repassarem a suas pacientes.

Eu quero convidar você a convidar o(s) profissional(ais) que cuidam da sua saúde a se informar sobre as dores femininas para depois ele(a)s informarem suas pacientes.

Uma médica ginecologista, um fisioterapeuta, um psicólogo… alguém ou alguns em quem você confia, ou aprecia. Ora, esse pessoal tem pacientes, ou seja, outras pessoas como você, que talvez tenham a humildade de reconhecer que não sabem tudo o que deveriam sobre sua(s) dor(es) crônica(s), e que se soubessem isso as ajudaria a conviver melhor com o seu desconforto. Esses profissionais da saúde podem ajudar muito mais, muita gente, se tivessem tempo, recursos didáticos etc.

Então, que tal você lhes facilitar a tarefa? Como? Enviando-lhes um presente útil nesse Natal. Um ebook bem documentado sobre DORES FEMININAS.

Basta um simples gesto.

CLIQUE AQUI

E se você pensou que eu estou ganhando fama e fortuna em cima de você, esqueça. Tudo nesse blog é acessível a todo mundo, de graça. Tudo. A missão é entregar aos profissionais da saúde interessados em educar seus pacientes, além de tratá-los clinicamente, recursos didáticos que lhes permitam realizar essa nobre obrigação.

Nesse fim de ano, faça sua própria boa ação filantrópica:

CLIQUE AQUI AGORA

Veja outros posts relacionados...

nenhum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *