Dor no pescoço: a dor crônica que só perde para a dor lombar

Dor no pescoço: a dor crônica que só perde para a dor lombar
image_pdfimage_print

Seis terapias integrativas – tai chi, qi gong, ioga, acupuntura, atenção plena e biofeedback – estão sendo chamadas a aliviar as seis dores crônicas mais prevalentes no mundo: fibromialgia, dor de cabeça, dor lombar, dor no pescoço, osteoartrite e artrite reumatoide. No post de hoje, o foco é a Dor no Pescoço. 

“A dor é uma sensação tão desagradável que mesmo uma pequena quantidade dela é suficiente para arruinar qualquer prazer.”

Will Rogers

A pesquisa da neurociência moderna mostra que o cérebro desempenha um papel importante na dor crônica. Tai chi, qi gong, ioga, acupuntura, atenção plena e biofeedback são recursos terapêuticos baseados nesse conceito, que começam a apresentar resultados mensuráveis. Eles oferecem ao praticante a (rara) chance de atingir a conexão mente-corpo, seja para simplesmente se sentir melhor fisicamente e mentalmente, ou para expandir o autocontrole e autoconsciência. Em ambos os casos, o alívio da dor crônica pode ser obtido.

Esse post reproduz uma publicação do NCCIH Clinical Digest, um boletim eletrônico mensal do National Institutes of Health americano, que oferece informações baseadas em evidências cientificamente coletadas sobre essas terapias integrativas.

As contribuições de cada uma são examinadas em relação às seis dores crônicas mais prevalentes na população mundial – fibromialgia, dor de cabeça, dor lombar, dor no pescoço, osteoartrite e artrite reumatoide – e serão apresentadas em uma série de 6 posts. No final de cada um, o blog anexa um vídeo descritivo de curta duração.

Dor no Pescoço

As evidências disponíveis indicam que a acupuntura para dor no pescoço pode fornecer melhor alívio da dor em comparação com nenhum tratamento. Há algumas evidências de que a manipulação espinhal pode ajudar a aliviar a dor no pescoço, mas muitas das pesquisas são de baixa qualidade.

O que a pesquisa mostra?

  • Terapias manuais. Avaliações de pesquisas sobre terapias manuais (principalmente manipulação ou mobilização) e acupuntura para dor cervical crônica encontraram evidências mistas sobre os benefícios potenciais e enfatizaram a necessidade de pesquisas adicionais. Uma revisão da Cochrane de 2015 de 51 ensaios clínicos randomizados envolvendo um total de 2.920 participantes concluíram que há alguma evidência para apoiar o uso de manipulação torácica versus controle de dor cervical, função e qualidade de vida; no entanto, os resultados para manipulação e mobilização cervical são poucos e diversos. Os revisores observaram que esses achados sugerem que a manipulação e a mobilização apresentam resultados semelhantes para cada resultado no acompanhamento imediato, curto e intermediário. Várias sessões de manipulação cervical podem fornecer melhor alívio da dor e melhora na função do que certos medicamentos no acompanhamento imediato, intermediário e longo prazo. Como há risco de eventos adversos raros, mas graves, para manipulação, é necessária uma pesquisa mais rigorosa sobre a mobilização e a comparação da mobilização e da manipulação com outras opções de tratamento. A revisão de 2007 observou que as diretrizes clínicas geralmente endossam o uso de terapias manuais para dor no pescoço, embora não haja um consenso geral sobre o status dessas terapias.
  • Massoterapia. Uma revisão de 2016 de quatro ensaios clínicos randomizados descobriu que a massagem terapêutica pode fornecer benefícios de curto prazo para a dor no pescoço. No entanto, uma revisão da Cochrane de 2013 de 15 estudos sobre massagem terapêutica para dor de garganta mostrou “evidências de nível muito baixo” de que certas técnicas de massagem podem ter sido eficazes na redução da dor e na melhoria da função. Os autores da revisão concluíram que nenhuma recomendação para a prática pode ser feita neste momento porque a eficácia da massagem para dores no pescoço permanece incerta.
  • Uma revisão sistemática AHRQ de 2018 de tratamento não farmacológico não invasivo da dor crônica concluiu que exercícios, laser de baixa potência, técnica de Alexander e acupuntura melhoraram a função e / ou a classificação da dor por pelo menos um mês.

Segurança

  • Os efeitos colaterais da manipulação da coluna podem incluir dores de cabeça temporárias, cansaço ou desconforto nas partes do corpo que foram tratadas. Um tipo de manipulação da coluna que se concentra no pescoço tem sido associada a dissecções da artéria cervical (DAC). Essas lacerações são raras, mas podem causar um derrame. Qualquer tipo de movimento repentino do pescoço, como praticar esportes, receber uma chicotada e vômitos violentos ou tosse também pode aumentar o risco de lágrimas. As evidências disponíveis sugerem que a incidência de DAC em pessoas que recebem manipulação da coluna é baixa, mas os pacientes precisam ser informados sobre esse risco potencial.

HÉRNIA DE DISCO (CERVICAL)


Tradução livre de Mind and Body Approaches for Chronic Pain: What the Science Says”, publicado em Setembro 2019.

Veja outros posts relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *